Celebrando las lenguas originarias de América
Pueblos | Palabras por orden alfabético
KAINGANG
KAINGANG

O povo Kaingang, de língua materna kaingang, pertencem ao grupo Jê Meridional. Em termos demográficos, os Kaingang se constituem na primeira etnia do tronco Macro-Jê e possui falantes desde o norte até o sul do Brasil. São reconhecidos pelos princípios cosmológicos dualistas: “A tradição dos Kaingang afirma que os primeiros da sua nação saíram do solo; eles saíram em dois grupos chefiados por dois irmãos, Kanhru e Kamẽ. Cada um já trouxe consigo um grupo de gente”. Os antepassados Kamẽ e Kanhru não impõem separação, mas sim complementariedade. Os kofá, os sábios, são pessoas mais velhas que transmitem e produzem os conhecimentos próprios.

PALABRAS
JYJY: Uma tradução para a língua portuguesa pode significar nome. Para os Kaingang, o jyjy tem uma profunda ligação com a sua ancestralidade e é atribuído à pessoa após a festa do Kiki, uma festa oferecida aos mortos, com a participação das duas metades clânica: Kamẽ e Kanhru. Os Kaingang possuem Jyjy kórég, são nomes especiais, aqueles que possuem espírito mais forte e podem lidar com os mortos de qualquer uma das metades, os chamados de péin, que normalmente prestam os serviços fúnebres. Um exemplo de Jyjy kórég é o Ka Tánh, que na língua portuguesa também denomina mosca ou mosca verde. Jyjy há é o nome bom ou fraco e a pessoa portadora deste tipo de nome não podia ir aos velórios. Os kaingang, com passar do tempo, foram perdendo o uso de seus nomes ancestrais e muitas das vezes tinham vergonha de seus Jyjy, pois a escola usava a tradução de Jyjy kórég como nome feio, nome que não prestava.
Pueblo: KAINGANG
KANHKÃ: A tradução mais aproximada para a língua portuguesa é Céu. Na compreensão kaingang, Kanhkã é o que sustenta as relações entre as pessoas. Kanhkã permite que os Kaingang acreditem em seus parentes, independente da marca clânica que pertence e sua distância: o seu Céu está junto; o Céu está distante; o seu Céu está em outro lugar. Todos são iguais: Tỹ ẽg tóg jagnẽ kanhkã kar nỹtĩ. Isso fundamenta a característica da reciprocidade entre os Kaingang. Não se trata de uma atitude moral, mas de um princípio regulador da vida comunitária, dos aspectos econômicos, culturais, sociais e políticos presente nos gestos cotidianos, perpassando as formas de produção, consumo e socialização dos bens materiais.
Pueblo: KAINGANG
PRỸG: Na língua portuguesausamos para designar ano. Prỹg é um dos principais marcadores de tempo Kaingang. É uma espécie de lagarta que vive toda amontoada, normalmente aparece nos meses de agosto a setembro, período do ano novo, tempo de preparar a terra para o cultivo das plantas para o sustento das famílias. Prỹg é vida nova na natureza, pois as plantas estão se renovando, brotando. É o momento ideal para uso dos remédios, tempo de fazer previsões sobre o andamento da vida. Prỹg é o período fértil, de gestação da natureza.
Pueblo: KAINGANG
Roda de conversa na aldeia: Kofá
Foto: Bruno Ferreira


Vãgvãsa Kanér (taquara). Planta que é referência de tempo para os kaingang
Foto: Bruno Ferreira



Rezadores Kaingang
Foto: Acervo Saberes Indígenas na escola – Núcleo UFRGS
  Grupo de Trabajo
Educación e Interculturalidad
© CLACSO 2020
www.clacso.org


Grupo de Trabajo
Educación e Interculturalidad

© CLACSO 2020
www.clacso.org